segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Rolinhos...

Casal se beijando no parqueAlguns dias atras encontrei com um ex namorado.

Não. Eu não fiquei abalada, sem graça ou sem saber onde enfiar as mãos.... Ele já está na categoria de amigo a longos anos e para minha surpresa, se candidatou (discretamente, é claro) à categoria de rolinho.

Se existe uma coisa que eu acho graça nos homens é quando eles envelhecem e começam a se sentir solitários... Ficam desesperados e partem para qualquer tipo de cantada na esperança de encontrarem uma paquera ou namorada. Até determinado ponto de suas vidas, a carreira, os amigos, o futebol, o carro, novamente a carreira e amigos, garotas, garotas e mais garotas são os assuntos mais interessantes... Nada de relacionamentos sérios e bem resolvidos, levar em casa  ou ir na casa da candidata é como se soasse um gongo interno dizendo "reprovada" - é hora de cair fora.

Claro que nem todos homens são iguais.- Tem homens que nasceram para casar, outros para conquistar!

No caso deste meu ex. Nasceu para conquistar. E faz isso com tremenda facilidade e desenvoltura, o danado!!!

Reencontra-lo me fez pensar nas possibilidades que trazem em si, os rolinhos... Na verdade, penso que os rolinhos são como um pré namoro, um período que você está ali conhecendo o outro sem saber ao certo se existem chances ou não de ir adiante. E que pode ser tudo de bom se ambos desejam uma relação leve, neutra, sem cobranças...

Se estamos pré dispostos a uma relação madura, equilibrada e estável, este rolinho dura muito pouco e parte logo para o namoro. Mas a ideia aqui é a do rolinho, da paquera descomprometida e descompromissada  dessas que a gente nem se preocupa muito, gostosas quando dá para encontrar, envolventes no tempo que tem que durar mas que se tornam perigosas quando uma das partes quebra este pacto e resolve se apaixonar, se envolver.... Daí, tudo desequilibra, se transforma e o caos se instala... Um quer o rolo, o outro quer namoro, resultado? Caos.

Rolinhos...rolinhos... caos...caos.

Agora: - E quando o namoro é para uma das partes uma espécie de pseudo-rolinho?
Aí, amiga, penso: - Caos...caos...caos.

Beijos e segura peão!

Cau Oliveira

Um comentário:

  1. Gostei muito deste texto Cau! Muito esclarecedor e lúdico. Parabéns

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário... adoro ler o que você pensa!